Av. Nossa Srª dos Navegantes, Edifício Palácio do Café, 675, Sala 701, Enseada do Suá, Vitória - ES, CEP 29.050-912

Central de Atendimento

(27) 3100-2019 | 27 3014-8008
(27) 9 9933-7517 (somente ligação)
(27) 9 9698-9329 (somente WhatsApp)

Funcionamento:
Segunda a sexta-feira de 8h às 17h

Generic selectors
Exact matches only
Buscar em títulos
Buscar no conteúdo
Post Type Selectors
Buscar em posts
Buscar em páginas

CFT emite resolução na modalidade de Biocombustíveis

  • 6 de janeiro de 2023

O Plenário do Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT) aprovou a resolução que define as competências dos profissionais habilitados na modalidade de Biocombustíveis. A normativa de número 203/2022, que entrou em vigor no mês de dezembro, esclarece a legislação e normatiza os campos de atuação e as prerrogativas das pessoas físicas e jurídicas que podem assumir a responsabilidade técnica na operação e controle de processos de produção e comercialização de biocombustíveis, supervisionar a aquisição, beneficiamento e a transformação da matéria-prima e executar análise química em todas as etapas.

Para atuar como técnico industrial em biocombustíveis o profissional precisa obter certificação em curso técnico reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e estar registrado no Sistema CFT/CRTs. O aprendizado – ligado ao eixo de produção industrial – abrange disciplinas ligadas à ciência, tecnologia e inovação e deve ser desenvolvido no período mínimo de 18 meses, com 1.200 hora/aula, sendo 80% na modalidade presencial.

Matriz energética

O presidente do CFT destaca que a resolução do CFT está atrelada à matriz energética brasileira, fortalecida a partir da inserção dos biocombustíveis como fonte alternativa de energia. Solomar Rockemback salienta que o território brasileiro – por ser vasto e de clima tropical – favorece o cultivo dos produtos que servem como matéria-prima necessária à produção dos biocombustíveis, especialmente o etanol e o biodiesel, e que os técnicos industriais têm competência para contribuir ainda mais com a industrial nacional.

“Por ser um conselho de classe que valoriza os técnicos industriais e contribui com o desenvolvimento social e econômico da Nação, o CFT editou mais esta nova resolução. A normativa, além de normatizar o exercício legal da profissão, estimula a formação de novos profissionais que poderão dispor do seu conhecimento para atuar na área de biocombustíveis e aproveitar as oportunidades de emprego e renda que surgem no setor que registra crescimento acentuado”, pontua o presidente do CFT.

Estudo

Recente estudo do Ministério das Minas Energia, revela que os biocombustíveis continuarão importantes para a segurança do abastecimento, diversificação da matriz energética e redução da emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE). Além do etanol e o biodiesel – extraídos a partir do grão da soja – o Brasil é grande produtor de biogás – obtido a partir de resíduos da agropecuária – e as biomassas, provenientes de florestas energéticas, que seguem técnicas de manejo para garantir a sustentabilidade.

Últimas notícias

IDAF adere à tecnologia e facilita a entrega das medições de terras via site

A fim de melhorar e agilizar a entrega dos documentos e de solicitações para requerimentos, o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo…
Ler mais...

Vitória Stone Fair: CRT-ES marca presença e recebe técnicos

O Conselho Regional dos Técnicos Industriais participou no dia 30 de janeiro a 02 de fevereiro da Feira Vitória Stone Fair, que aconteceu no Pavilhão…
Ler mais...

CRT-ES participa do videocast Mundo Offshore

No início desta semana, na segunda-feira (5), o CRT-ES participou do videocast Mundo Offshore, apresentado por Thelmo Tonini, Técnico em Instrumentação e funcionário da maior…
Ler mais...

CFT emite resolução na modalidade de Biocombustíveis

  • 6 de janeiro de 2023

O Plenário do Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT) aprovou a resolução que define as competências dos profissionais habilitados na modalidade de Biocombustíveis. A normativa de número 203/2022, que entrou em vigor no mês de dezembro, esclarece a legislação e normatiza os campos de atuação e as prerrogativas das pessoas físicas e jurídicas que podem assumir a responsabilidade técnica na operação e controle de processos de produção e comercialização de biocombustíveis, supervisionar a aquisição, beneficiamento e a transformação da matéria-prima e executar análise química em todas as etapas.

Para atuar como técnico industrial em biocombustíveis o profissional precisa obter certificação em curso técnico reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e estar registrado no Sistema CFT/CRTs. O aprendizado – ligado ao eixo de produção industrial – abrange disciplinas ligadas à ciência, tecnologia e inovação e deve ser desenvolvido no período mínimo de 18 meses, com 1.200 hora/aula, sendo 80% na modalidade presencial.

Matriz energética

O presidente do CFT destaca que a resolução do CFT está atrelada à matriz energética brasileira, fortalecida a partir da inserção dos biocombustíveis como fonte alternativa de energia. Solomar Rockemback salienta que o território brasileiro – por ser vasto e de clima tropical – favorece o cultivo dos produtos que servem como matéria-prima necessária à produção dos biocombustíveis, especialmente o etanol e o biodiesel, e que os técnicos industriais têm competência para contribuir ainda mais com a industrial nacional.

“Por ser um conselho de classe que valoriza os técnicos industriais e contribui com o desenvolvimento social e econômico da Nação, o CFT editou mais esta nova resolução. A normativa, além de normatizar o exercício legal da profissão, estimula a formação de novos profissionais que poderão dispor do seu conhecimento para atuar na área de biocombustíveis e aproveitar as oportunidades de emprego e renda que surgem no setor que registra crescimento acentuado”, pontua o presidente do CFT.

Estudo

Recente estudo do Ministério das Minas Energia, revela que os biocombustíveis continuarão importantes para a segurança do abastecimento, diversificação da matriz energética e redução da emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE). Além do etanol e o biodiesel – extraídos a partir do grão da soja – o Brasil é grande produtor de biogás – obtido a partir de resíduos da agropecuária – e as biomassas, provenientes de florestas energéticas, que seguem técnicas de manejo para garantir a sustentabilidade.